Samsung, Android e Google: amigos amigos, negócios à parte

Samsung, Android e Google: amigos amigos, negócios à parte. Samsung vai apostar em alternativa ao Android, Google vai apostar em concorrente do Apple iPhone 5 e do Samsung Galaxy S3.

2013 vai ser um ano algo importante para a Samsung, o Android e a Google por vários motivos. Especialmente no que diz respeito à relação entre estes três elementos. E porquê?

Essencialmente porque a Samsung irá dar início à sua aposta noutro sistema operativo – o Tizen OS – que não o Android da gigante norte-americana. Não deveria ser preocupante já que a empresa sul-coreana oferece dispositivos dentro de várias gamas, correcto? Bem, deveria e é especialmente preocupante para a Google, que vê esta movimentação como uma ameaça. A Samsung é actualmente a maior fabricante/vendedora de telemóveis/smartphones em todo o mundo e grande parte do seu sucesso se deve à conciliação do seu hardware com o sistema operativo da Google. Mas há sempre um mas.

Samsung, Android e Google: amigos amigos, negócios à parte

Tal como a Apple, também a Samsung deseja ter um maior controlo sobre a experiência de utilização dos seus dispositivos – algo que é possível com o Android, mas que poderá trazer prejuízos à Google. A gigante norte-americana, por sua vez, parece igualmente querer controlar mais a experiência de utilização do seu sistema operativo – o que não se reflectiu apenas com o lançamento de diversos dispositivos Nexus, entre os quais o Google Nexus 7, o LG Nexus 4 e o Samsung Nexus 10.1, mas também com a aquisição da Motorola (esta última tendo sido vista pelas suas parceiras como uma ameaça, contra a qual a Samsung parece estar agora a tomar medidas).

Graças ao Android, os lucros da Samsung são astronómicos – superiores, inclusive, aos da Google, que gera receitas através da publicidade exibida nesses aparelhos. É certamente uma parceria que faz sentido para a Samsung de agora, mas cujo modelo não podemos garantir na Samsung ‘do futuro’. Os seus dispositivos oferecem, se tanto, a combinação da experiência Android da Google com um leve toque da Samsung. A solução para oferecer uma experiência 100% Samsung? Oferecer um sistema operativo próprio – e é aqui que entra o Tizen, pelo menos enquanto alternativa hipotética. A Samsung já confirmou a sua intenção de lançar vários dispositivos com este sistema operativo, os quais deverão chegar inicialmente ao mercado asiático durante 2013. A chegada dos smartphones Tizen ao Ocidente estará dependente do seu sucesso nesses mesmos mercados.

Samsung, Android e Google: amigos amigos, negócios à parte

Contudo, independentemente do seu sucesso o Tizen é a confirmação de que a Samsung se encontra em busca de alternativas ao Android. E mesmo que não o venha abandonar, existe uma possibilidade remota da Samsung seguir as passadas da Amazon e disponibilizar a sua própria versão ‘fechada’ do sistema operativo.

Por sua vez, esta mesma possibilidade justifica a aposta da Google na Motorola, cujos rumores sugerem estar a preparar um X Phone que deveria concorrer com o Apple iPhone 5 em todos os aspectos – mas fará sentido limitarmos a concorrência à Apple? Não poderíamos afirmar também que o X Phone viria concorrer com dispositivos como o Samsung Galaxy S3?

A Samsung tornou-se demasiado poderosa dentro do ecossistema Android, sugere Brian S. Hall da Wired. E se a Samsung ‘enforcasse’ o Android? E se fizessem um acordo global com, por exemplo, a Microsoft, e tornassem o Bing e os Bing Maps em aplicações défault? Não é de todo impossível, refere.

É claro que tudo isto não passam de meras hipóteses, mas certamente que ambas as gigantes sabem que estes cenários não são de todo impossíveis de acontecer – e é talvez por esse mesmo motivo que ambas se estejam, ainda que de forma relativamente low profile, a precaver-se.