Skip to main content

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

Samsung Galaxy Mini, membro mais novo da família Galaxy.  De baixa gama, Samsung Galaxy Mini corre Android 2.2 e inclui processador de 600 Mhz.

O Samsung Galaxy Mini é como se fosse o irmão mais novo da família Galaxy, que agora é liderada pelo Samsung Galaxy S 3. Apresentado pela própria Samsung como um dispositivo para iniciantes no segmento, o facto deste pequeno smartphone Samsung incluir Galaxy no nome poderá servir para atrair os consumidores. Os mais distraídos, contudo, poderão desiludir-se pois esta é a gama mais baixa dentro dos smartphones Samsung Galaxy.

Equipado com Android 2.2 Froyo, processador de 600 MHz e câmara de 3,15 MP, tentámos colocar-nos na perspectiva de um utilizador inexperiente com smartphones para tentarmos avaliar o Galaxy Mini. Quer saber como correu ? Continue connosco.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

Design do Samsung Galaxy Mini

O Samsung Galaxy Mini é um smartphone de gama baixa, e isso reflecte-se também no seu design. Apesar das inúmeras comparações ao modelo do escalão seguinte, o Samsung Galaxy Fit, as especificações técnicas do Mini não dão espaço para erros. A versão que testámos do Samsung Galaxy Mini foi a preta, com o contorno verde – existe também uma versão branca deste smartphone, que na nossa opinião é bem mais agradável. A este respeito quer-nos parecer que o design deste smartphone não é o seu ponto forte, embora possamos supor que o design não seja uma prioridade para quem procura este género de dispositivos.

As primeiras impressões com ele, contudo, são bem mais agradáveis – o Samsung Galaxy Mini é pequeno e, mesmo não sendo elegante, é confortável de se utilizar. Com 110 x 60 x 12 mm de medidas, não é o smartphone mais fino do mercado – mas é incrivelmente leve e pequeno. O que, em contrapartida, pressupõe o sacrifício do tamanho do ecrã touch (que é de 3.14 polegadas), além de lhe conferir um aspecto plastificado.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

O Samsung Galaxy Mini possui também um look relativamente minimalista, já que possui muito poucos botões físicos – na parte frontal estão presentes três botões físicos (Opções, Ecrã inicial e Retorno); o botão para ligar/desligar/bloquear o smartphone está localizado no lado direito, enquanto que no lado esquerdo estão os botões de volume.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

Na parte de cima do Samsung Galaxy Mini encontra-se uma entrada microUSB, com uma cobertura de plástico de fácil remoção, e uma entrada para auscultadores de 3.5 mm. O Samsung Galaxy Mini também suporta expansão de memória microSD (até 32 GB) e contém do lado direito uma ranhura, também protegida com uma pequena tampa de plástico de fácil remoção.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

A parte de trás é essencialmente a cobertura da bateria, que é de plástico e também fácil de retirar. Apesar do look de baixa gama, é resistente e permite proteger a parte de trás do Galaxy Mini, onde se encontra a câmara dfigital de 3.15 MP.

Por último, e retomando à face do Samsung Galaxy Mini, temos o ecrã TFT de 3.14 polegadas. O ecrã é capacitivo e, por isso, nem sempre responde aos toques mais suaves. Contudo, e a favor do Samsung Galaxy Mini, durante a maior parte da nossa utilização achámos que a resposta foi bastante boa, ao ponto de nos permitir navegar pela sua interface Android com alguma fluidez.

Interface e Funcionalidades do Samsung Galaxy Mini

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

O Samsung Galaxy Mini corre Android 2.2 Froyo, uma versão já consideravelmente antiga do sistema operativo da Google. Contudo, quem considerar adquirir este equipamento poderá actualizá-lo para Android 2.3 Gingerbread. Referimos anteriormente que o ecrã capacitivo do Samsung Galaxy Mini nem sempre responde ao toque da forma que gostaríamos, o que obriga a que os seus utilizadores tenham que repetir os gestos, por vezes mais do que uma única vez.

O Samsung Galaxy Mini apresenta logo de início três ecrãs principais – que permite expandir até 7 -, todos eles personalizáveis com Widgets. O desafio será, por sua vez, encontrar widgets e aplicações suficientes com que possamos popular os ecrãs principais deste mini Galaxy. A razão para tal prende-se a uma característica que irá limitar, à partida, os seus utilizadores – que é o processador de 600 MHz do Samsung Galaxy Mini.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

A interface em si já nos é familiar, e utilizadores que já conheçam o Android não se irão sentir marginalizados aqui – a navegação por entre a interface Android 2.2 Froyo do Samsung Galaxy Mini é feita em modo horizontal, tanto nos ecrãs principais como no menú de aplicações, o que não requer um longo período de habituação. Especialmente se for a primeira experiência com Android.

Resumindo, o Samsung Galaxy Mini cumpre aquilo a que se propõe com a sua interface – simplificar a vida aos seus utilizadores. É de facto um smartphone de baixa gama e não irá ser apelativo para utilizadores mais experientes. Quem se estiver a iniciar no segmento dos smartphones, contudo, poderá ter aqui uma boa oportunidade. Especialmente se for daqueles utilizadores mais ferrenhos de telemóveis tradicionais, que não liga a telemóveis.

Câmara e Multimédia do Samsung Galaxy Mini

O Samsung Galaxy Mini vem equipado com uma câmara digital de 3.15 MP e com resolução de 2048 x 1536 píxeis. À partida é uma resolução que não deverá impressionar, mas acabámos por ficar mais agradádos do que as nossas expectativas iniciais previam. Apesar de nos dias que correm 5 MP serem o standard mínimo de resolução, a câmara do Samsung Galaxy Mini é perfeitamente razoável e mais do que adequada para a gama que ocupa.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

As fotografias, apesar de não terem os contrastes vívidos de muitos smartphones de gamas superiores, têm uma qualidade bastante decente quando visualizadas no ecrã do computador. Como contrapartida negativa este smartphone não tem flash, o que significa que os seus utilizadores devem esquecer a hipótese de tirarem fotografias com o seu smartphone em locais com pouca ou nenhuma iluminação.

Samsung Galay Mini, review a mini Galaxy da Samsung

A interface da câmara também é familiar e de fácil utilização, além de incluir algumas opções interessantes para tirar fotografias, tais como diversos modos de fotografia – Paisagem, Noite, Desporto, Festa/Interior, Praia/Neve, Pôr do Sol, Amanhecer, Cor de Outono, Fogo de Artifício, Luz de Velas e Luz de Fundo. além de um modo de disparo com opções como Disparo Único, Contínuo e Panorama.

Já o suporte vídeo do Samsung Galaxy Mini é QVGA, a 15 frames por segundo, e não nos surpreendeu. Pelo contrário, mais facilmente ficaríamos surpreendidos se algum utilizador recorresse frequentemente a esta funcionalidade para captar vídeos no seu dia-a-dia.

A experiência multimédia, seja em termos de áudio ou de vídeo, não foge à regra do que temos dito anteriormente – é razoável, permite entreter mas só se não tivermos nada melhor disponível. Apesar da qualidade de som das colunas do Samsung Galaxy Mini não ser muito boa, pois tende a distorcer o som consoante o volume, a experiência com headphones é bem mais agradável. A utilização deste smartphone, contudo, está dependente de um cartão microSD – o Samsung Galaxy Mini possui um esaço de armazenamento tão reduzido que chega a ser ridículo, e muitas das vezes quando nos esquecemos de ligar o cartão microSD ficámos impossibilitados de tirar fotografias.

Quanto à visualização de vídeos no Youtube, cuja aplicação vem pré-instalada, a experiência não foge à regra. E pudera, pois o ecrã tem apenas 3.14 polegadas, o que não faz deste dispositivo a primeira opção dos utilizadores que apreciem conteúdos multimédia. Cumpre as suas funções, e permite usufruir de uma experiência relativamente agradável, mas que no geral não é um factor que justifique a aquisição de um Samsung Galaxy Mini. Também temos a apontar um bug com que frequentemente nos deparámos na utilização da aplicação do Youtube no Samsung Galaxy Mini – apesar de conseguirmos ver vídeos na Web, especialmente através do Wi-Fi, a aplicação conta com um bug que nos envia uma mensagem a notificar que existe um problema com a rede. Só quando acedemos à pesquisa de vídeos no Youtube e seleccionamos um conteúdo é que esta mensagem deixa de nos aparecer

 Internet e Conectividade do Samsung Galaxy Mini

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

O Samsung Galaxy Mini suporta 3G e Wi-Fi, o que é um aspecto que certamente será apreciado pelos seus utilizadores. A velocidade de navegação do Samsung Galaxy Mini surpreendeu-nos, na verdade, pela positiva – sobretudo através de Wi-Fi, o Galaxy Mini carrega páginas de forma relativamente rápida. O mesmo ocorre em 3G, o que poderá ser útil para aqueles utilizadores que façam frequentemente longas viagens, ou que utilizem transportes públicos.

Apesar de nunca nos cansarmos de referir que somos adeptos de ecrãs acima das 4 polegadas para este tipo de funcionalidades, o Samsung Galaxy Mini permite usufruir de uma experiência Web interessante – se não nos importarmos de recorrer frequentemente ao pinch-to-zoom de forma a conseguirmos ler os textos, claro.

Ao carregar inicialmente uma página, devido não só ao tamanho do ecrã mas também à sua pobre resolução, ler textos com letras pequenas é, na prática, impossível. Contudo, um pinch-to-zoom revela uma fonte com mais definição e que facilita a sua leitura. Já o carregamento de imagens está também limitado pela própria performance do ecrã do smartphone – as imagens apresentam ruído e alguma má definição, parecendo por vezes pixelizadas.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

Quanto a opções de conectividade, e como já referimos anteriormente, o Samsung Galaxy Mini apresenta um espaço de armazenamento muito reduzido – 160 Mb -, embora inclua um cartão microSD de 2GB como oferta. O microSD será sem dúvida uma mais valia, tanto para transportarmos músicas como para guardarmos algumas das fotografias que vamos tirando, caso contrário com apenas algumas fotos deixamos de poder utilizar a câmara digital do Samsung Galaxy Mini – até que as consigamos transferir para um PC, via microUSB.

A transferência de dados entre PC e smartphone, por sua vez, é rápida – o Samsung Galaxy Mini vem equipado com Bluetooth 2.1, o que já será uma mais valia, além de incluir GPS.

Performance do Samsung Galaxy Mini

Equipado com um processador de 600 Mhz e uma bateria de 1200 mAh, a Samsung garante que a autonomia de bateria do Galaxy Mini poderia atingir uma duração de 570 horas em standby, o que não está longe da verdade se tivermos em conta as aplicações que estiverem a correr na ocasião. Utilizar Wi-Fi, 3G e GPS é essencialmente vampirizar a energia da bateria, que ao fim de um dia de utilização intensiva está praticamente no fim. Ou por vezes até em menos tempo.

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

Também o facto de ser um processador de 600 Mhz não garante uma performance de sonho ao Samsung Galaxy Mini, especialmente no que toca ao consumo pesado de multimédia, ou à utilização de aplicações. Consegue, ainda assim, manter uma prestação perfeitamente razoável. Contudo, para todas as suas principais funcionalidades – que ao fim ao cabo são o principal destaque deste telefone -, o Samsung Galaxy Mini poderá surpreender.

A navegação pela interface Android é relativamente fluida – se estivermos a navegar por entre os menús de aplicações e tentarmos arrastar os ecrãs a uma maior velocidade, inevitavelmente notaremos um ligeiro arrastamento na sua performance, que ainda assim é bem menor do que em muitos smartphones da concorrência, inclusive de gamas mais elevadas.

Também o ecrã do Samsung Galaxy Mini, apesar de não ter uma qualidade de imagem soberba, nos surpreendeu pela positiva. A resposta ao toque foi muito superior àquilo que esperávamos e poucas vezes tivemos problemas neste aspecto.

Conclusões sobre o Samsung Galaxy Mini

Samsung Galaxy Mini, review a mini Galaxy da Samsung

Na nossa opinião, o Samsung Galaxy Mini é um bom smartphone dentro da gama em que se enquadra. É certo que há smartphones mais bonitos, mas o Samsung Galaxy Mini também não é o pior com que já nos deparámos. Além disso é pequeno, leve – não queremos chamar-lhe de elegante, porque não o é – e confortável. Talvez o aspecto seja um pequeno preço a pagar por estes factores. Também a interface Android Froyo (que é actualizável para Gingerbread) tem a seu favor a sua simplicidade e familiaridade, aliada a uma fluidez relativamente boa.

Por outro lado, o facto de ser um smartphone algo limitado na utilização de algumas aplicações, apesar de não ser um aspecto propriamente positivo, também não deverá apresentar-se como uma preocupação para os utilizadores de smartphones de gamas baixas. Estamos perante um telefone que nos permite personalizá-lo dentro das suas limitações, além de permitir transferir dados rapidamente para o PC, oferece uma razoável – e rápida – experiência web, e que felizmente permite a expansão da sua memória.

Além disso o ecrã tem mais qualidade do que aparenta, contribuindo para que a navegação pelos seus menús seja uma experiência bem mais fluida. Resumindo, o Samsung Galaxy Mini oferece o essencial e, embora nenhum dos seus aspectos possam fazer dele um smartphone verdadeiramente memorável, será sem dúvida indicado para utilizadores inexperientes dentro deste segmento, que certamente irão ter uma boa primeira impressão.

Classificação do Samsung Galaxy Mini

Acessórios: 5,74

Design: 6,53

Interface e Funcionalidades: 6,90

Câmara e Multimédia: 5,55

Internet e Conectividade: 8,50

Performance: 6,15

Extras: 7,90

__________________________________________

CLASSIFICAÇÃO FINAL: 6,75