• Início
  • Social Media
  • Sessão Especial de Bolsa encerra 4ª fase de privatização da Portugal Telecom

Sessão Especial de Bolsa encerra 4ª fase de privatização da Portugal Telecom

74 228 investidores privados adquiriram acções na OPV.

«Oferta de acções do Estado na OPV e na Venda Directa: Preço final das acções fixado em 37,50 euro (7 518 escudos). Preço das ADR’s fixado em US$ 38,25; 36,38 euro (7 293,5 escudos) por acção para Trabalhadores da Portugal Telecom e Pequenos Subscritores e Emigrantes, reflectindo o desconto de 3% no preço; Face à qualidade e quantidade da procura dos investidores institucionais internacionais, 2 502 500 acções inicialmente destinadas à OPV foram realocadas à Venda Directa (“clawforward”); Tendo sido exercido o “clawforward” de 2 502 500 acções, a Oferta Pública de Venda foi subscrita 8,5 vezes face à oferta final (7,5 milhões de acções); 74 228 investidores privados adquiriram acções na OPV; Venda Directa a investidores institucionais nacionais e internacionais subscrita mais de 4 vezes. Operação de venda do Estado gera encaixe superior a 948 milhões de euro (190 milhões de contos), se a opção de “greenshoe” for exercida; Aumento de capital Aumento do capital social da empresa de 950 000 000 euro para 1 045 000 000 euro, através da emissão de 19 000 000 novas acções. Preço de subscrição fixou-se em 37,50 euro por acção, ou seja, o mesmo que foi definido para a Venda Directa, gerando um encaixe de 712,5 milhões de euro (142,8 milhões de contos). Foi hoje anunciado, na Sessão Especial de Bolsa relativa à 4ª fase de privatização da Portugal Telecom, na Bolsa de Valores de Lisboa, o preço das acções alienadas na Oferta Pública de Venda e na Venda Directa, bem como o nível de procura registado e respectiva alocação. O preço final das acções na Venda Directa foi fixado em 37,50 euro (7 518 escudos) por acção, tendo sido definido através do processo de ‘bookbuilding’. O nível de procura da parte dos investidores institucionais foi muito significativo em todos os mercados, em resultado do intenso programa de ‘roadshow’ da empresa levado a cabo, durante três semanas, nas principais praças financeiras dos EUA e da Europa. O preço final das acções para a OPV é igualmente de 37,50 euro (7 518 escudos) por acção, calculado de acordo com a fórmula de fixação de preço prevista, ou seja, o menor entre o preço que foi fixado para a venda directa (resultante do processo de bookbuilding) e a média ponderada das médias diárias ponderadas da cotação das acções da PT na BVL durante o período da OPV, acrescida de 5%, tendo prevalecido o preço fixado para a venda directa. A Portugal Telecom, comentou os resultados alcançados, salientando que “nesta 4ª fase de privatização, os investidores nacionais e internacionais voltaram a demonstrar uma enorme confiança na Portugal Telecom, dotando a Empresa com os meios financeiros necessários para a sua estratégia de desenvolvimento, a qual passa pela manutenção da liderança nos negócios existentes, promoção de novas áreas de negócio e crescimento através da inovação”. Colocação de acções Um total de 44 650 000 de acções, correspondendo a 23,5% do capital da empresa, será colocado no mercado se o “greenshoe” for integralmente exercido. A distribuição de acções foi realizada da seguinte forma: · 7,5 milhões de acções disponibilizadas para a OPV. 27,37 milhões de acções disponibilizadas para a Venda Directa a investidores institucionais nacionais e estrangeiros, dispondo os coordenadores globais da oferta de um período de 30 dias para o exercício de opção de alocação adicional de 2 331 818 acções (“greenshoe”). 7 449 736 acções foram subscritas pelos accionistas da empresa, no aumento de capital (OPS). Segmentos da OPV com condições preferenciais Os Trabalhadores da Portugal Telecom, Pequenos Subscritores e Emigrantes beneficiaram de um desconto de 3% relativamente ao preço de compra de acções para o público em geral (sujeito a um período de indisponibilidade de três meses). Os investidores desta tranche adquiriram 5 milhões de acções a 36,38 euro (7 293,5 escudos), contando ainda com a atribuição gratuita de uma acção por cada 25 adquiridas caso as mantenham na sua titularidade durante um ano, até 12 de Julho de 2000. Um desconto adicional de 3% foi ainda aplicado para os Trabalhadores da Portugal Telecom que optaram pelo pronto pagamento, adquirindo assim cada acção ao preço de 35,28 euro (7 073 escudos). Aumento de capital O aumento de capital da Empresa, realizado no âmbito da 4ª fase de privatização, foi de 950 000 000 euro para 1 045 000 000 euro, através da emissão de 19 000 000 novas acções. O preço de subscrição fixou-se em 37,50 por acção, ou seja, o mesmo que foi definido para a Venda Directa a investidores institucionais na 4ª fase de privatização. As acções subscritas no aumento de capital que sejam liquidadas amanhã, 13 de Julho, serão admitidas à cotação na BVL amanhã, após o registo comercial. A subscrição de acções no aumento de capital irá proporcionar aos investidores particulares os mesmos benefícios fiscais atribuídos às acções adquiridas na OPV (dedução no IRS e redução de taxa na tributação sobre os dividendos). Além disso, as novas acções darão direito aos mesmos dividendos que as demais acções da PT, isto é, receberão o dividendo integral relativo a 1999 e aos anos seguintes. Coordenadores Globais Os coordenadores globais da 4ª fase de privatização da PT foram o BES Investimento, a Merrill Lynch e a Warburg Dillon Read.»