Skip to main content

Siemens Mobile agitada

A divisão de telefonia móvel da marca alemã deve mesmo ser vendida.

O grupo alemão estará em negociações com vários grupos, incluindo o sul-coreano LGE, sobre o futuro da sua divisão de telemóveis que vem apresentado um défice crónico e cujo futuro é incerto, afirma hoje o semanário germânico «WirtschaftsWoche», sem revelar as suas fontes.

O jornal refere, no entanto, as conclusões de um estudo que encomendou à empresa de consultoria e auditoria Accenture, para garantir que a actividade daquela divisão da Siemens não tem possibilidades de sobrevivência. «O mercado assemelha-se cada vez mais ao da electrónica de entretenimento, com uma concorrência crescente e uma baixa dos preços», salientou Nikolaus Mohr, especialista da Accenture, para quem a Siemens não conseguirá manter-se como um dos players desse mercado.

De acordo com o «WirtschaftsWoche», a venda do negócio de telemóveis pela Siemens afigura-se, assim, cada vez mais provável.

O grupo alemão deverá anunciar uma perspectiva sobre esta actividade aquando da assembleia geral de accionistas, que está marcada para o próximo dia 27.

O presidente, Heinrich von Pierer, reafirmou por várias vezes nos últimos tempos que a solução passará por «sanear, fechar, vender ou cooperar». Os nomes da chinesa Ningbo Bird e da japonesa NEC são referidos pela imprensa como possíveis parceiros na criação de uma nova empresa para assumir o negócio, enquanto a LG é apontada como potencial comprador da Siemens Mobile.