NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
UMTS gera 300 milhões para a Sociedade da Informação

UMTS gera 300 milhões para a Sociedade da Informação

quarta-feira, 20 dezembro, 2000 /
Os quatro vencedores do concurso para atribuição de quatro licenças para operar a terceira geração de telefonia móvel, Telecel, TMN, Oni e Optimus, comprometem-se a investir 300 milhões de contos na promoção da Sociedade da Informação. Os quatro vencedores do concurso para atribuição de quatro licenças para operar a terceira geração de telefonia móvel, Telecel, TMN, Oni e Optimus, comprometem-se a investir 300 milhões de contos na promoção da Sociedade da Informação. Este valor é repartido por várias iniciativas, das quais Jorge Coelho, Ministro do Equipamento, que falava na cerimónia de anúncio do vencedores, destacou 20 milhões de contos para garantir o acesso da população com necessidades específicas à nova tecnologia; 88 milhões de contos destinam-se a promover o acesso à terceira geração das faixas da população com baixos rendimentos; para a investigação, formação e desenvolvimento, e criação de de conteúdos os operadores canalizam 62 milhões de contos; enquanto que para instituições de mais-valia social vão 42 milhões de contos. Jorge Coelho destacou ainda a importância do sector das telecomunicações para a economia nacional, referindo os 2,6 mil milhões de contos de investimento que vão ser realizados em Portugal até 2005, dos quais dois mil milhões em infraestruturas; e a criação de 50 mil novos postos de trabalho, directos e indirectos, que vão ser criados com o lançamento da telefonia móvel de terceira geração. O ministro anunciou ainda a criação de uma comissão para acompanhar a aplicação das verbas comprometidas com o desenvolvimento da sociedade da informação, cuja constituição vai a Conselho de Ministros amanhã. A comissão será composta por um responsável do Instituto das Comunicações de Portugal, dois representantes da secretaria da Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação e um representante de cada um dos quatro operadores de UMTS. O ministro disse ainda que os 80 milhões de contos de taxas de entrada que os operadores vão ter que pagar, 20 milhões de contos cada, deverão entrar nos cofres públicos dentro de três dias. Atribuídas as licenças, os operadores ultimam agora a escolha dos fornecedores de infraestruturas e de equipamento terminal. A Optimus já fechou contrato com a Nokia, enquanto a TMN e a Telecel contam escolher os seus fornecedores dentro de dias. A Oni espera ter os contratos fechados o mais tardar até 15 de Janeiro, estando também a negociar com a TMN e com a Telecel/Optimus a partilha de sites para colocar as suas antenas. De acordo com António Vidigal, presidente da Oni Way, a empresa conta utilizar 800 sites partilhados, de um total de 2800 que vai instalar no primeiro ano.
2,743