• Início
  • Tecnologia
  • Software grátis ou barato pode ser mais prejudicial do que benéfico

Software grátis ou barato pode ser mais prejudicial do que benéfico

Imagem Freepik – Press Foto Ninguém diz que não a uma boa oportunidade de negócio. Contudo, confiar em software grátis ou barato pode ser mais prejudicial do que benéfico. A expressão “quando a esmola é grande o pobre desconfia” aplica-se na perfeição a tecnologias como antivírus ou VPNs. Mas até que ponto é perigoso utilizar […]

Imagem Freepik – Press Foto

Ninguém diz que não a uma boa oportunidade de negócio. Contudo, confiar em software grátis ou barato pode ser mais prejudicial do que benéfico. A expressão “quando a esmola é grande o pobre desconfia” aplica-se na perfeição a tecnologias como antivírus ou VPNs. Mas até que ponto é perigoso utilizar software gratuito?

Nada é de graça, nem mesmo software grátis…

Desenvolver um antivírus ou uma VPN não é fácil. São precisas muitas horas de pesquisa e desenvolvimento, que exigem um investimento considerável. Assim, como é possível que existam tantos softwares gratuitos ou extremamente baratos disponíveis online? Infelizmente, a resposta é que nada é de graça, nem mesmo software grátis…
As empresas que disponibilizam antivírus ou VPNs gratuitamente precisam de fazer dinheiro de alguma forma, e alguns dos métodos mais comuns podem não só prejudicar a experiência do utilizador como constituir uma ameaça para a sua segurança. A presença constante de anúncios em algumas tecnologias gratuitas é o exemplo mais óbvio de como empresas que desenvolvem software grátis fazem dinheiro. Mas há mais.

Os perigos do software gratuito

Anúncios são irritantes e incomodativos, mas não necessariamente perigosos. Ainda que a exposição abusiva a anúncios faça muita gente levar as mãos à cabeça, a verdade é que estes não constituem um risco em si. Os problemas de segurança associados a software gratuito relacionam-se principalmente com a recolha de dados e a distribuição dissimulada de malware.

Recolha de dados

Recolher dados dos utilizadores é uma prática comum no mundo do freeware. Dados pessoais são extremamente valiosos e podem ser vendidos a terceiros para fins comerciais e não só, representando uma fonte de rendimento significativa para desenvolvedores de software. Eventualmente, os seus dados podem chegar às mãos de maus agentes, incluindo (entre outros) hackers e burlões.

Malware

A presença de malware—todo o género de software indesejável, geralmente instalado sem autorização—também é bastante prevalente em tecnologias gratuitas, e pode ter um efeito extremamente prejudicial. Já alguma vez instalou um programa gratuito, abriu o navegador, e descobriu que o seu motor de busca pré-definido tinha sido automaticamente mudado? Se sim, já foi exposto a malware. Trata-se de um exemplo clássico de como software gratuito utiliza estratégias invasivas para gerar dinheiro.
Certos antivírus, por exemplo, até tentam promover os seus motores de busca como “mais seguros.” Isto não é mais senão uma estratégia de marketing; por mais que o seu antivírus gratuito o tente convencer que um motor de busca é mais seguro que outro, a verdade é que não existe nenhum risco de segurança associado ao uso do Google em prol de outras alternativas.

Spyware

Em casos mais extremos, software gratuito pode conter spyware que não é imediatamente reconhecido. Este tipo de malware pode ser usado para vários fins prejudiciais, que incluem não só a exploração dos recursos do seu computador como o acesso não autorizado a documentos privados, cartões de crédito, ou números de segurança social.

As vantagens de pagar por software

Nem todo o software gratuito é necessariamente prejudicial. Contudo, é evidente que os desenvolvedores de freeware precisam de compensar o dinheiro que já investiram de alguma maneira. No que toca a programas sensíveis que envolvam a sua segurança online—como antivírus ou VPNs—pagar pode acabar por ser a solução mais barata.
Uma VPN, por exemplo, é um programa que lhe permite ocultar o endereço de IP, navegar de forma privada online, ou bloquear automaticamente o acesso a anúncios e sites perigosos. Por outras palavras, encontra-se no centro da sua cibersegurança. Para evitar recolhas de dados abusivas ou malware, é recomendável ignorar VPNs gratuitas em prol de uma VPN windows de qualidade.

Cibersegurança de qualidade tem um preço

Num momento em que os ciberataques são mais comuns do que nunca (afetando não só empresas como cidadãos comuns), é fulcral privilegiar produtos de cibersegurança de qualidade em prol de alternativas gratuitas ou baratas. Confiaria nos serviços de um médico grátis ou de um segurança pessoal que não cobra dinheiro? Se não, porque confiar em software gratuito que não lhe oferece verdadeiras garantias de segurança?
Em todos os tópicos que envolvem questões sensíveis como a sua privacidade ou a saúde do seu computador, o barato pode mesmo sair mais caro. Evite riscos desnecessários e aposte em antivírus, VPNs, e outro software pago e de confiança.