Sony Ericsson T68i, Glória ao MMS

Primeiro de uma Nova Era.

Há terminais que constituem pequenos saltos mais do que tecnológicos verdadeiramente epistemológicos em frente, instantes luminosos que abrem novas possibilidades na forma como os utilizadores se relacionam com o objecto telemóvel e a forma como este afecta a sua «realidade» e qualidade de vida. Ericsson T68i

Neste instante assistimos ao desabrochar de alguns desses modelos: é em primeira-mão o caso deste Ericsson T68i que se pode colocar, nalguns aspectos que particularmente se verão, em concorrência com o Samsung SGH-T100 e o propalado Philips Fisio 820.

Na realidade, o T68i é uma versão melhorada do T68, modelo ele próprio com apenas meia dúzia de meses. Assim com o sufixo «i» vieram algumas alterações a nível do hardware e do software, da estética e das funcionalidades…

Design

Pela banda do design assinala-se nomeadamente a mudança do material constituinte da metade posterior, correspondente à bateria, o qual talvez tenha perdido em ergonomia e facilidade de adesão à mão e à pele o que pode ter ganho em estética. A nível das cores o novo modelo inclui um azul metalizado que enquadra perfeitamente o visor colorido jogando igualmente de forma cromaticamente perfeita com o corpo em tom claro do próprio telefone.

A disposição das teclas mantém-se a mesma, incluindo o excelente joystick o qual, não obstante, talvez pudesse ganhar coisa qualquer havendo mais rigidez. O hábito tende a melhorar a eficiência, porém ocorre por vezes a quem toma o telefone na mão nos primeiros dias, navegando pelos menus, ao tentar seleccionar um item, pressionando em profundidade, fazer na realidade o menu deslocar-se no sentido de uma das direcções.

Observe-se ainda a útil tecla lateral, no lado oposto à porta de infra-vermelhos que tanto pode auxiliar a navegação como, nomeadamente, apresentar um resumo do estado dos serviços incluindo os tempos de carga previstos.

Em suma: se, de acordo com o popular adágio «os olhos são os primeiros a comer, então o Sony Ericsson T68i constitui uma refeição da mais apurada e substancial comida. communicam_mca20

Possibilidades da Cor

Ainda no plano das aparências, o gozo mais imediato para o utilizador é dado por este SonyEricsson mediante o colorido do seu visor. São 256 cores repartidas por 80 por 101 pixéis de luminosidade viva.

Assim, o visor colorido marca um passo monstro face aos que, até à bem pouco, quanto muito eram capazes de reproduzir uns poucos gradientes de cinzento. Ainda assim, excelente para o MMS com recurso a imagens do tipo «cartoon» revela-se algo insuficiente para outro fim. De facto, a visualização de fotos tiradas em cor real, seja na forma de uma mensagem MMS ou em attachment a um email, por exemplo, revela um efeito de pixelização.

Dentro de cada cor os gradientes estão naturalmente limitados. O reflexo é evidente sobretudo com o uso da Communicam. A imagem dada na prática está bastante aquém da visualizada na publicidade respectiva. O pleno usufruto da resolução de 640 por 480 pixéis não pode ser experimentado directamente no telefone mas só, posteriormente, através de um PC convencional.

Sendo interessante e novo, o visor colorido deste Ericsson tem as mesmas cores do que o Philips Fisio 820, com uma resolução inferior face aos 120 por 120 pixéis do segundo, capaz este de nove linhas de texto (contra as cinco do Ericsson).

O visor do Ericsson perde ainda na comparação com o Samsung SGH-T100 que não só ostenta um ecrã TFT de 128 por 160 pixéis de resolução como é capaz de reproduzir milhares de cores.

Comunicabilidade, MMS & dados

O entrosamento quase perfeito operado pelo telefone com o meio Internet constitui o seu grande trunfo. A ligação GPRS ou HSCSD (o telefone suporta ambas embora, recorde-se, em Portugal apenas a Vodafone disponibilize a segunda tecnologia) assegura uma ligação em velocidade capaz de tornar a experiência produtiva.

O T68i é dos primeiros dotados de um browser WAP 2.0. Ericsson T68i

Note-se que, à semelhante do mais antigo Ericsson T39, o Sony Ericsson T68i oferece simultaneamente ligações por infra-vermelhos e sem fios por Bluetooth. Sobre isto há a observar a inexistência da oferta de um cabo de ligação por porta paralela, coisa tão mais útil quanto é sabido que, apesar de tudo, a existência de uma porta de infra-vermelhos está muito longe de ser um dado universal. Sobretudo no caso dos desktops mas também nalguns laptops (como é o caso da marca Compaq).

Relativamente à utilização da tecnologia de transferência de dados sem fios é de observar que em Portugal esta conhece aceitação crescente. Porém, o standard mais comum adoptado e disponibilizado nas LANs desta ordem é o Wi-fi e não ainda o Bluetooth.

No plano das mensagens o modelo oferece, debaixo do mesmo menu, seis «opções»: SMS, MMS, Call Voice Mail, E-mail, Chat, Área Info e uma sétima (opções).

Melodias & Jogos

A Sony Ericsson compensa o facto da sonoridade dos toques estar algo abaixo do cômputo geral do modelo com um conjunto superlativo (o melhor que já vimos) de jogos. Especial destaque para a clássica Batalha Naval (que se pode jogar a solo ou entre dois telefones distintos) e o Erik, cativante jogo entre lógica e a estratégia que convida a preencher o ecrã com figuras geométricas manobrando um pequeno cursor contra adversários que o podem destruir, pondo termo à partida.

Menus e software

A navegabilidade dos menus, partindo de uma estrutura base com a disposição de nove ícones, um dos quais com acesso directo a um menu de atalhos personalizados, é elevada. Apesar de ser completo em termos de funcionalidades que, naturalmente, impõe alguma complexidade (veja-se a estrutura de menus no gráfico anexo), o sistema operativo do telefone é usável q.b..

Quanto ao software XTNDConnect PC este permite a transferência de dados entre o PC (Outlook) e o telefone envio de ficheiros de imagem que são guardados no “My Images” onde podem ser utilizados como background etc. Quando as imagens (formato Jpeg ou Gif) tenham uma resolução em pixéis superior à do próprio telefone este faz o redimensionamento mantendo as proporções.

Processo muito simples que utiliza o software de infra-vermelhos ou Bluetooth do computador para enviar o ficheiro para o telefone, o qual solicita a confirmação da recepção e informa do tamanho disponível em memória.

A versão do software gratuito que vem com o CD permite apenas a sincronização com o Outlook mas não a edição das entradas do telefone, para o que é necessário adquirir uma versão avançada – paga.

O software instala um ícone no painel de controlo do Windows designado “Opções do monitor de telefones” que controla não o visor mas – tomado o termo «monitor» no sentido de gestor da comunicação – todo o processo de configuração das ligações, desde os termos de apresentação do ícone de sincronização a um programa de «resolução de problemas de comunicação»

É também adicionada pasta ao menu «Ericsson/Definições do Modem Móvel Ericsson” que, porém, não afectam a ligação a GPRS.

O pacote podia ser mais completo. Nomeadamente sente-se a falta do software de gestão do SIM e das demais (e são muitas) opções e funcionalidades

Ericsson T68i. Esquema de menus. ©Sony Ericsson

Potencial questão com o software descrita

Um utilizador do Telemoveis.com relatou-nos ter tido um problema com um T68i adquirido no início do mês de Junho num pacote da TMN relativo a uma especificidade do software que faz com que, escrevendo um SMS com os acentos activados, aparentemente apenas seja possível redigir 69 caracteres por mensagem, repartindo o telefone automaticamente o demais texto por outras mensagens. Um problema, segundo o leitor, extensível à função de chat. Porém, segundo o mesmo, sucede também que, «deixando os acentos ligados e escrevendo os 160 caracteres, o telemóvel informa que vai enviar 3 SMS mas na realidade só envia uma.»

O Telemoveis.com ainda não conseguiu obter da Sony Ericsson um comentário a esta última questão esperando, no entanto, consegui-lo fazer brevemente.

Bateria & captação

A captação do T68i é GSM tripla banda. Para além das frequências 900 e 1800 HZ funciona na de 1900. Também conhecida por PCS 1900 esta última é uma rede digital utilizada em partes dos Estados Unidos e do Canadá e está prevista para outras partes da América e África.

Alguma opinião publicada, mormente em sítios estrangeiros, dá a debilidade da captação como aspecto menos favorável do T68i. Na experiência que teve com o modelo (apenas urbana é certo) o Telemóveis.com não constatou, porém, tal facto.

Ericsson T68i Oficialmente a Sony Ericsson reclama tempos de stand by na casa das 195-390 horas – 3 a 12 em chamada. Porém, depois de 48 horas de uso a indicação de carga em stand by caiu nas nossas mãos de 275 horas para 17 (meia dúzia de fotos, meia dúzia de transferência de ficheiros, cerca de 20 minutos de conversação). Realisticamente, com um uso moderado das funções mais complexas, é de crer que a bateria dure em média três dias.

Desiderato

O T68i é um modelo pleno de interesse. A nosso ver menos porém ainda pela possibilidade de incorporar a Communicam e admitir tirar e enviar fotos em tempo real, funcionalidade algo desapontante porquanto a câmara e, sobretudo, o visor do telefone estão aquém do idealizado, e mais pelo entrosamento feito com a Internet e toda a pletora de aspectos relativos à comunicação de dados.

É um modelo sem dúvida «apetitoso». Não fora o preço que ainda o exclui das bolsas médias e seria seguramente um forte contendor pelo primeiro lugar dos terminais vendidos no decurso do corrente ano. O MMS é o grande toque do lançamento do modelo, no que há que admirar a Sony Ericsson pela ventura de ter o terminal de estreia adoptado ex aequo por mais do que um operador nacional. Sentido de oportunidade que augura alguma coisa em favor da promessa da joint venture de disputar a liderança dos terminais quando o UMTS chegar.

Porém, o MMS tal como existe, resumido strictu sensu ao envio de mensagens com som e imagem incorporados, fica ainda algo aquém das expectativas. A utilização a fazer dele será mais provavelmente esporádica. Ou seja, mais no plano do «lúdico» do que propriamente do «útil-fundamental».

O T68i antecipa uma nova era, a era do live streaming, e da conversão dos telemóveis em pequenos centros de lazer ou entretenimento portáteis. Naturalmente, para quem tiver paciência para esperar (e desembolsar mais algum dinheiro), dentro da própria marca Sony Ericsson, o anunciado P800 parece uma aposta bem mais interessante: a resolução do visor é superior e a câmara deixa de ser um «acessório» cujo permanente transporte acarreta algum incómodo para passar a estar incorporada na parte posterior do telefone.

Para este último efeito, aliás, resta um problema a resolver: a crescente disponibilização de funcionalidades que apelam à escrita nos terminais, além dos SMS, a nível da introdução de dados dos organizers, da composição dos e-mails etc… tornam evidente a obsoletização dos sistemas de escrita actuais. Já nem mesmo o T9 nos safa. Neste plano o T69i tenta operar uma compensação com a incorporação de vasto número de funções activadas pela voz.

Porém, compreensivelmente nada ainda no tocante ao seu reconhecimento e tradução em escrita, factor que exige grande capacidade de processamento. Sem um visor do tamanho suficiente para adoptar o sistema do toque sensível dos PDAs, o utilizador pode ser deixado muitas vezes com uma alguma sensação de frustração quando, apressadamente, tenta introduzir com as minúsculas teclas do telefone, informação de um tipo mais complexo. Este é um desafio a ganhar, não só por este T68i mas por progressivamente por toda a indústria.

Hugo Valentim

Veja uma simulação 3D do telefone na página da marca.

IMAGENS PARA O SEU T68i
Para importar as seguintes imagens basta descarregá-las para o seu PC e comunica-las por infra-vermelhos. Opcionalmente também as pode enviar por email. O seu tamanho foi optimizado para o visor do modelo.