Sony Ericsson Z600: A concha com pérola

A primeira «concha» do fabricante nipo-sueco para a Europa tem tudo o que tinha o T610, mas melhorou nalguns aspectos.

Pela primeira vez a Sony Ericsson decidiu apostar no formato concha no mercado europeu, e o resultado foi o Z600, um terminal em tudo semelhante ao T610, mas com um design que despertou ódios e amores. Uma coisa é certa: ninguém fica indiferente a esta bela peça de design.

Primeiras impressões

O Z600 é o primeiro modelo em formato de «concha» a ser lançado pelo fabricante nipo-sueco no mercado europeu. Antes de mais, e para os que gostam de pormenores, a letra Z é o código usado pela Sony Ericsson para os modelos no formato acima referido.Basicamente, estamos na presença de um T610 com outro formato, melhorado em termos de funcionalidades, e com uma especial aptência para funções que, não sendo desprezadas pelos mais velhos, poderão interessar aos mais novos, desde que endinheirados.Isto porque a Sony Ericsson, neste modelo, decidiu juntar num só as capacidades que fazem dele um terminal destinado aos homens de negócio, e incluir ainda jogos como V-Rally 2 ou ainda uma viciante versão do saudoso Arkanoid, este último descarregado por nós.

Mas adiante, ao abrirmos o telefone repara-se logo na ausência de joystick, substituído por um D-Pad com cinco posições, e também um botão dedicado ao acesso WAP, 2.0. 

Câmara

Na parte de lateral encontramos um botão de acesso à câmara, embora se possa aceder normalmente através dos menus, que continuam tão intuitivos e fáceis de utilizar como no T610.

Mais uma vez a funcionalidade que melhor funciona não é a câmara, cujas imagens ficam um pouco aquém de outros modelos existentes no mercado.

Mesmo assim, a câmara deste Z600 permite-lhe optar entre duas diferentes resoluções: hi e low. Mas a ausência de zoom, e o facto do preview no ecrã ser algo lento constituem um dos poucos factores negativos em relação a este modelo.

De referir ainda que a câmara inclui funcionalidades como temporizador, modo nocturno e alguns efeitos, como sépia e preto e branco.Uma das funcionalidades inaugurada no T610 e que vê continuidade no Z600 é o Quickshare, um sistema desenvolvido pela Sony Ericsson para facilitar a partilha de imagens e dados.

Ficámos com a nítida sensação de que a qualidade da câmara deste Z600 é ligeiramente inferior àquela do seu irmão mais novo.

Ecrã

Os principais defeitos do T610 residiam sobretudo na má qualidade de imagem e uma captação de rede deficitária.Apesar do Z600 possuir um ecrã com as mesmas dimensões e 65 mil cores do seu irmão mais velho, o mesmo foi melhorado significativamente, embora continue a sofrer do mesmo problema quando é confrontado com a luz directa do sol.Captação Aqui reside talvez a característica que foi alvo da maior atenção por parte dos engenheiros do fabricante. O T610 padecia de má captação de rede. 

Mas o Z600 é de facto muito superior neste aspecto, e coloca-se como excelente alternativa aos utilizadores do T68i que não quiseram apostar no T610.Com efeito, não registámos qualquer tipo de dificuldades e nos sítios onde era suposto termos rede, tinhamo-la.

Interface do utilizador

É sem dúvida uma das melhores características deste telefone, e um dos melhores do mercado. À medida que os telephones começam a incluir mais funcionalidades, estes tornam inevitavelmente mais complexos, e tornam impossível a utilização de uma lista convencional, ou a mesma tornar-se-ia infindável.
Daí que o interface baseado em ícones utilizado no Z600, T610, Série 60 da Nokia seja, por enquanto, a melhor solução.

Jogos

O Z600 é sem dúvida um telemóvel com aptência para o mercado empresarial, mas que pisca o olho aos mais novos, já que de série o mesmo inclui três jogos, incluindo a jóia da coroa da Sony Ericsson, o V-Rally 2.

É também o único terminal que é actualmente é compatível com o acessório Gameboard EGB-10, um comando semalhante aos da Playstation que se encaixa no terminal e torna alguns títulos bem mais fáceis de jogar. O Bluetooth tem aqui também um papel importante, já que a inclusão desta tecnologia permite, para além de transferência de dados, jogar em modo multijogador com um amigo.

Conectividade


Falando de Bluetooth, podemos entrar um pouco no terreno da conectividade. Se ao nível dos infra-vermelhos, não existe nada em especial a reportar, já no domínio do «dente azul», encontramos um ou outro pormenor dignos de registo.

Um dos melhoramentos no sistema prende-se com o suporte para sistemas áudio, nomeadamente auriculares e mãos livres. O Z600 suporta vários aparelhos sem que para isso se tenha mudar as definições cada vez que se alterna do auricular para o car kit, ou vice-versa.

Mas no melhor pano cai a nódoa e detectámos alguns barulhos parasitas ao efectuarmos as chamadas.

Organização/Agenda

A aplicação calendário do Z600 é bastante agradável, oferecendo uma visão diária, semanal e mensal. De fácil navegação, permite-lhe agendar e guardar notas importantes, afazeres, podendo estes ser enviados via Bluetooth/IrDA para outro terminal.

Adicionalmente, existem ainda outras aplicações normais neste tipo de telefones, casos de Notas, Alarmes, Temporizador, Calculadora, etc.

O Z600 inclui ainda um sistema de gestão de contactos digno desse nome. Cada contacto poderá incluir vários números de telefone, bem como outr outro tipo de informação (e-mail, moradas, etc.). Esta informação pode ser sincronizado com o PC usando para isso o software de sincronização incluido no pacote. Simples e fácil de utilizar, ninguém deverá ter dificuldades de maior.

De referir, para os utilizadores de Macintosh, que o Z600 inclui também o software de sincronização denominado iSync.

Mais algumas funcionalidades e diferenças

À semelhança dos modelos mais recentes da marca nipo-sueca, o Z600 permite uma série de configurações ao nível dos perfis (8 ao todo), desde tons, volumes, até retro-iluminações de ambos os ecrãs, o exterior e o interior.
Existe ainda uma grande variedade de toques, e felizmente manteve o Old Phone, um toque que lembra os velhinhos telefones pretos. De referir ainda que para notificações de e-mail/SMS/MMS existem oito tons diferentes.
A autonomia também é algo a destacar neste novo terminal. A bateria de 740mAh permite que o telemóvel se mantenha operacional durante dois ou três dias, consoante a utilização que se der. Não fique por isso espantado se passar o dia ao telefone e a mandar MMS e a consultar e-mail, que o Z600 necessite recarregamento ao fim de dia e meio.

Conlusão

À semelhança do que acontecia com o T610, este Z600 provou ser um telefone de elevada qualidade e com bons acabamentos. Uma nota para o teclado, muito suave e ergonómico.

Estamos pois na presença de um irmão quase gémeo do T610, com algumas, pequenas, alterações. A questão, em termos de escolha, parece pôr-se por isso mais ao nível da estética do que a nível de performance.
O Z600 é assim uma óptima opção para quem precisa de um telefone com todas as novas funcionalidades, com excepção para o vídeo e leitura de MP3. É um terminal a pensar em todos aqueles que gostam de um telemóvel de design arrojado, pleno de funcionalidades, mas que preze igualemente a fiabilidade e a robustez. 

Nota: Caso já seja detentor de um Z600, e não consegue configurar nem o GPRS nem o MMS porque lhe foi dito pelo operador que as mesmas ainda não estão disponíveis, sugerimos que solicite as referentes ao T610. Funcionam na perfeição. De qualquer das formas pensamos que este problema já tenha sido entretanto resolvido.