NOTA! Este site utiliza cookies e tecnologias similares.

Se não alterar as configurações do seu navegador, está a concordar com a sua utilização.

Compreendo
Google alarga guerra à Microsoft

Google alarga guerra à Microsoft

quinta-feira, 09 julho, 2009 /
A Google anunciou o lançamento de um sistema operativo. Baptizado de Google Chrome OS, deverá estar disponível em meados de 2010. O gigante da informática, que tem uma forte componente de produtos grátis ou abertos aos utilizadores, prepara-se para fazer guerra ao outro gigante, a Microsoft. O Chrome OS vai concorrer directamente com o Windows, que equipa cerca de 90% dos computadores no Mundo. Numa primeira fase, o sistema operativo (OS) da Google vai equipar "notebooks", computadores portáteis mais pequenos, essencialmente vocacionados para a navegação na Internet, a alma da Google. O sucesso do OS da empresa criadora do mais requisitado motor de busca do Mundo ficará, no entanto, dependente de acordos com fabricantes de computadores, para a instalação de base. O Chrome OS será baseado no novo navegador de Internet da Google, o Chrome, lançado em Setembro de 2008 para concorrer com o Internet Explorer, da Microsoft. A empresa optou por criar um OS de base, depois de se ter falado na adaptação do Android, sistema operativo para telemóveis que chegou a Portugal, esta semana, no HTC Magic, comercializado pela TMN. "A rapidez, a simplicidade e a segurança são os aspectos-chave do google Chrome OS. Foi concebido para andar e dar acesso à web em poucos segundos. O interface é simples, para não vos incomodar", afirma a empresa que criou o motor de busca mais usado no Mundo. Este ataque à Microsoft, no terreno natal da empresa de Bill Gates, que praticamente "inventou" o OS, permitindo assim a democratização dos computadores, segue-se ao ataque, tremido, do Chrome ao Internet Explorer. O browser da Google conquistou apenas uma pequena fatia do grande bolo do Explorer, que também tem a concorrência, crescente mas á distância, do Firefoz, da Mozilla. A entrada da Google no mercado dos OS pode vir a revolucionar o uso dos computadores pessoas. A empresa parece apostada em não dar descanso ao gigante Microsoft, que combate há alguns anos, com uma linha de produtos gratuitos, desde editores de texto e fotos, calendário ou correio electrónico.
3,062