Skip to main content

Telecel reacende guerra dos preços

A liberalização nas telecomunicações já está a permitir aos clientes de telemóveis telefonarem para fora do País a preços de chamada nacional.

A liberalização nas telecomunicações já está a permitir aos clien|es de telemóveis telefonarem para fora do País a preços de chamada nacional. A Telecel entrou ontem na nova guerra de preços nos telemóveis. Depois da Optimus e da TMN, a operadora anunciou reduções nas tarifas nas ligações internacionais, já a partir de hoje. No dia 12 de Fevereiro, baixam em 21 % as chamadas nacionais. Já com o mercado liberalizado (por enquanto apenas nas ligações internacionais), os operadores não perderam tempo a baixar preços. Como o conseguem, é simples: se dantes eram obrigados a recorrer à Marconi, agora podem utilizar qualquer outro operador que permita custos mais em conta. Na concorrência, cada vez mais quente, sai a ganhar o consumidor, que viu os preços das chamadas para fora do País baixarem mais de 70 %. A partir de hoje, um cliente da Telecel poderá telefonar para o estrangeiro a valores entre os 88 escudos e os 212 escudos por minuto. No caso de ligações para a União Europeia, Suíça, Estados Unidos e Canadá durante o “horário profissional” (das oito horas às 13 horas e das 14 horas às 22 horas), o preço será equivalente ao de uma chamada nacional para outras redes. De acordo com o comunicado da empresa, a aplicação dos novos valores corresponde, em alguns casos, a um abaixamento de 70 %. A partir do dia 12 de Fevereiro, a Telecel faz uma redução de 21 % na tarifa das chamadas nacionais para outras redes no “horário profissional” para os clientes de planos de assinatura e para as Vitaminas T e R. Os valores mensais dos planos “Pack Total 120+30 / Privado 480” e “Normal” passam, respectivamente, para 6950 escudos e 5250 escudos, respectivamente. Nesta última batalha, que começou pouco antes do Natal, a Telecel acabou por ser a que mais demorou a mexer nos preços. A Optimus, o mais recente operador de telemóveis em Portugal, e a TMN, do grupo Portugal Telecom, têm já em curso agressivas campanhas publicitárias, “oferecendo” aos clientes a possibilidade de telefonarem para fora aos preços de uma chamada nacional. Às três operadoras não resta agora outra alternativa senão prosseguir com a guerra com o lançamento de novos produtos e serviços. Contactada pelo DN, a Optimus chamou a atenção para o facto de ter sido a primeira a mexer-se. “Nós não respondemos a nada, uma vez que fomos os pioneiros no processo”, referiu uma fonte da operadora da Sonae, que chamou ainda a atenção para o recente lançamento do Boomerang Life. A TMN, por seu turno, responde com o preço, mais baixo, das ligações dos seus telemóveis para um telefone da rede fixa portuguesa e com o facto de ter sido a primeira a chegar ao centésimo acordo de roaming. Com o boom dos telemóveis e a queda dos preços das chamadas, há já quem prefira dispensar o “tradicional” telefone fixo. E, ao que tudo indica, tão depressa o machado de guerra da concorrência não será enterrado. Por Ricardo Salvo 23-1-99