Telefones lerão lábios dentro de cinco anos

Tecnologia em desenvolvimento acabará com a audição incómoda das conversas alheias…

É preciso notar que no Japão a etiqueta tem regras muito apertadas que implicam que os telemóveis estejam banidos de muitos locais e redes de transportes públicos enquanto em muitos outros, falando exposto, é esperado que o utilizador de telemóvel coloque recatadamente a sua mão a tapar a boca e o microfone propriamente dito. A tecnologia, ainda na primeira infância do seu desenvolvimento, deverá consistir num sensor de contacto capaz de ler os pequenos impulsos eléctricos que a movimentação dos músculos espoleta. Por ora os investigadores ainda só obtiveram sucesso na identificação pelo método anterior das vogais, estando agora a atirar-se de alma e coração à descodificação do padrão de micro-electro-impulsos musculares suscitados pela pronúncia das consoantes. Ainda há muito trabalho pela frente mas vá contando, lá para 2007/8, poder comprar os primeiros telefones capazes de falar por si. Tecnologia que pode conhecer igualmente a mais útil das aplicações aplicada aos mudos e a todos os deficientes da fala, já para não falar dos temporariamente visados por gripe ou meningite.