Telemóveis concorrem com relógios

Vertu disputa mercado de luxo.

Na Baselworld, a feira anual do sector de relojoaria e jóias, telemóveis adornados com diamantes e safiras foram exibidos ao lado de tradicionais acessórios para os pulsos. Alguns dos aparelhos incluíam recursos que permitem acompanhar voos, calcular câmbios e verificar as condições atmosféricas.

A Vertu, divisão de produtos de luxo da Nokia, exibiu modelos com preços entre 4,35 mil e 310 mil dólares, num stand a poucos metros de onde era exposta a nova colecção de relógios de Paris Hilton.

Alberto Torres, presidente da Vertu, disse que muitos dos clientes mais jovens da empresa estão mais interessados em telemóveis do que em relógios, ao contrário da clientela tradicional, que demonstra profunda lealdade a fabricantes de relógios de luxo como Patek Philippe, Rolex ou Cartier.

Porque estão sempre com os telemóveis nas mãos, pousam-nos sobre as mesas de refeição ou exibem-nos de outras maneiras, Alberto Torres afirmou que muitas pessoas estão cada vez mais conscientes da imagem que os seus telemóveis transmitem: «O telemóvel tornou-se elemento importante de estilo de vida. O aparelho diz alguma coisa sobre o utilizador».

As vendas da Vertu cresceram 140% no ano passado e devem crescer em mais de 100% em 2007, disse o presidente da empresa, recusando-se a apontar o total em dólares. Ainda assim, salientou o facto de a Vertu ser uma das divisões mais pequenas da Nokia e, ao mesmo tempo, uma das mais lucrativas.

A unidade está a aproximar-se da marca dos 100 mil terminais vendidos anualmente.