Telemóveis para deficiências auditivas

O regulador norte-americano pediu aos construtores para que os smartphones sejam equipados com ajudas para pessoas com deficiências auditivas.

No comunicado emitido pela FCC, o organismo adiantou como possibilidade a redução dos níveis de radiação, que possam eventualmente inteferir com aparelhos auditivos. Apesar dos telemóveis analógicos não provocarem interferências nos aparelhos auditivos, o mesmo já não acontece com os digitais devido à carga electromagnética gerada pela antena do terminal. Esta limitação pode impedir o utilizador de fazer um bom uso do terminal.

Esta preocupação da FCC vem no seguimento do esforço que toda a indústria terá de fazer para que os seis milhões de cidadãos norte-americanos que usam aparelhos auditivos não fiquem privados de aceder às últimas novidades tecnológicas que surgem no mercado dos telemóveis. Juntamente com o Consumer & Governmental Affairs Bureau e com a Food and Drug Administration vai ser lançada uma campanha de esclarecimento da população para os seus direitos neste matéria.

O organismo norte-americano está a tentar envolver vários interessados no processo, nomeadamente grupos e associações de pessoas com deficiências auditivas, bem como audiologistas e médicos especialistas.