Telemóveis privilegiados para cortejar

Demonstrado que as pessoas se sentem mais desinibidas em usar as novas tecnologias para abrirem o coração.

O frente a frente sempre foi inibidor para se declarar algo de mais profundo. Não por falta de coragem, mas porque há assuntos delicados demais para serem ditos cara a cara. Por isso, descobriu-se que os homens – principalmente eles! – ficam mais libertos psicologicamente para se declararem à cara-metade recorrendo às novas tecnologias. E o telemóvel é o preferido.

O sistema Serviço de Mensagens Curtas (SMS) tem dado um grande apoio sentimental a todos aqueles (e aquelas!) que não têm coragem para enfrentar os seus sentimentos frente a frente com quem mais gostam. Quer isto dizer que, feito um estudo ao tipo de SMS”s enviadas pelos utilizadores de telemóveis, concluiu-se que “I Love You” (Amo-te) era uma das mais recorrentes.

Um site inglês vai organizar uma conferência sobre o rosto da notícia no século XXI, com um debate para promover, exactamente, o que este tipo de novos contactos sugerem. Há quem goste de considerar que este tipo de comunicação atira para canto a interactividade entre as pessoas. Ora, uma das responsáveis pelo site Uboot.com, Louise Williams, e uma das participantes no debate, defende que é precisamente o contrário. Isto é, não só não diminui como aumenta a interactividade entre as pessoas. E apontou o caso das “salas” de chats, na internet, onde o conhecimento virtual leva ao conhecimento real dos demais intervinientes.

Explicou ainda que o seu site fez uma pesquisa de mercado a propósito do mega-sucesso das SMS em todo o mundo e, curiosamente, descobriram que a grande maioria dos utilizadores diziam nas mensagens o que, se fosse cara a cara, nunca o fariam. “I Love You” é uma delas…em grande número!