Tráfego cai na rede fixa

Anacom diz que a PT perdeu mercado.

Os dados foram revelados pela Anacom, que indicou que o grupo Portugal Telecom tinha, no mesmo período, 93,7% dos acessos, contra 94% no trimestre anterior.

Considerando o parque de acessos totais, que inclui os postos públicos e o parque próprio dos operadores, o número de acessos sobe a 4,228 milhões, menos 0,6% que no trimestre anterior. Neste caso, a quota do grupo PT é de 93,8% contra 94,1% no trimestre anterior, aponta a autoridade das telecomunicações.

A Anacom salienta que o número de clientes do serviço telefónico fixo em acesso directo mantém a tendência de quebra, ascendendo a 3,1 milhões de clientes no final de Setembro, menos 0,3% que no trimestre anterior – o grupo PT tem 94% dos clientes, uma redução de 0,3 pontos face ao trimestre anterior.

Em contrapartida, as modalidades de acesso indirecto, em pré-selecção e selecção chamada a chamada, continuam em crescimento. Os clientes de pré-selecção no final de Setembro rondavam os 420 mil, mais 4,8% que no trimestre anterior. Na selecção chamada a chamada registou-se um aumento de 2% do número de clientes, para 85 mil.

Quebras de 16% e 8%

De acordo com autoridade do sector, o tráfego total originado na rede fixa entre Julho e Setembro de 2004 ascendeu a 2.778 milhões de minutos resultantes de 825 milhões de chamadas, valores que traduzem quebras homólogas de 16% e 8%, respectivamente. Estas reduções prendem-se com a quebra do tráfego de acesso à Internet através da linha telefónica (dial-up), decorrente da expansão do acesso através de ADSL.

Atendendo apenas ao tráfego de voz, no terceiro trimestre registaram-se 2.082 milhões de minutos resultantes de 791 milhões de chamadas, em quebra homóloga de 4,1% e 4,7% respectivamente. O tráfego nacional totalizou 1.957 milhões de minutos, enquanto o tráfego internacional de saída se cifrou em 125.086 minutos.

No mesmo período, o acesso indirecto representou 18,8% dos minutos do tráfego nacional e cerca de 18,3% dos minutos do tráfego internacional de saída.

PT perde 5%

Em matéria de quotas de mercado no tráfego de voz, o grupo PT viu a sua quota cair no terceiro trimestre de 2004, tanto em minutos como em chamadas. Em minutos tinha no terceiro trimestre uma quota de 77,2%, contra 82,2% no período homólogo, uma quebra de cinco pontos percentuais.

«Aliás, a quebra é da mesma ordem de grandeza quando se analisa o tráfego total, que inclui a Internet», destaca a Anacom, avançando que, nesse caso, a PT tinha no terceiro trimestre uma quota de 82,8%, contra 88,1% no período homólogo. Os postos públicos têm vindo a aumentar, totalizando 44 656 unidades no final de Setembro, um número que traduz um aumento de 7,5% em termos homólogos.

Os dados revelados pela autoridade das telecomunicações mostram ainda que, no final de Setembro, existiam 147.641 números não móveis portados, mais 7,4% que no trimestre anterior, e existiam 21 entidades habilitadas a prestar o serviço, mas apenas 12 estavam a exercer a actividade.