Vitelcom em risco de fechar

Telefónica preferiu ZTE.

O futuro da Vitelcom, produtor espanhol de telemóveis (entre outras, usa a marca da falida Grundig), está cada vez mais negro e a falência parece ser a saída mais lógica.

A administração da empresa da Andaluzia apresentou nesta semana um projecto de despedimento dos 400 trabalhadores da unidade bem como dos 100 que tem em França.

A Vitelcom está há cerca de 11 meses praticamente sem trabalho devido à ausência de encomendas da Telefónica, o seu principal cliente.

O operador preferiu trabalhar com a chinesa ZTE, com quem assinou há poucas semanas um negócio relativo à produção de terminais 3G.

Os telemóveis serão distribuídos com a marca Movistar e terão um preço «competitivo», segundo disseram as duas empresas na ocasião.