Vodafone anuncia resultados

Nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002 o lucro líquido comparável do operador cresceu 24% face ao ano anterior.

Incluindo o ganho extraordinário de cerca de 19 milhões de euros decorrentes da venda de 80% da TelecelOnline ao Grupo Vizzavi Europe em 2001, o lucro líquido nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002 decresceu 3,7% relativamente ao mesmo período de 2001. O Cash Flow Operacional (EBITDA) comparável obtido pela Vodafone Telecel, nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, foi de 236,4 milhões de euros, um crescimento de 12,7% face ao valor alcançado no mesmo período do ano anterior. Incluindo o impacto de cerca de 4 milhões de euros decorrentes da venda da TelecelOnline, o EBITDA nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002 cresceu 10,6% relativamente ao mesmo período de 2001. A margem do EBITDA sobre as receitas de serviços cifrou-se em 31,9% nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, um aumento de 2,3 pontos percentuais face aos 29,6% registados no mesmo período do ano anterior. A Vodafone gerou receitas totais operacionais e de serviços recorde, de 800,3 milhões de euros e 740,9 milhões de euros, respectivamente, nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, o que representa um crescimento de 3,7% e 2,6% relativamente ao mesmo período do ano anterior. As receitas totais operacionais compreendem as receitas de serviços (receitas provenientes dos serviços de telecomunicações) e outras receitas, que incluem principalmente vendas de equipamentos. As receitas de serviços celulares são compostas por receitas de serviços facturados a clientes, que registaram um valor recorde de 475,7 milhões de euros, e por receitas de serviços celulares facturados a operadores, que ascenderam a 244,5 milhões de euros, apresentando um aumento de 8,2% e um decréscimo de 8,6%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior. O decréscimo das receitas de serviços celulares a operadores está relacionado com a redução das tarifas de interligação fixo-móvel e móvel-móvel impostas pelo regulador Anacom. Em 31 de Dezembro de 2002, a Vodafone contava com 3.037.084 clientes registados no seu serviço celular, em resultado da adição de 199.069 clientes durante os nove meses findos naquela data. Os produtos pré-pagos continuaram a representar a grande maioria das activações brutas no período e, em 31 de Dezembro de 2002, os clientes de serviços pré-pagos representavam cerca de 73% da base de clientes registados no serviço celular da Vodafone Telecel, o que compara com 74% há um ano atrás. A receita média mensal por cliente registado (ARPU) no negócio celular da Vodafone Telecel foi de 27,24 euros nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, um decréscimo de 8,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, o ARPU relacionado com as receitas de serviços celulares a clientes foi de 17,99 euros e o ARPU relacionado com as receitas de serviços celulares a operadores foi de 9,25 euros, o que representa decréscimos de 3,0% e de 18,1%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior. A redução do ARPU relacionado com as receitas de serviços celulares a clientes resulta de alterações verificadas no perfil de tráfego, devido a um número superior de chamadas realizadas dentro da própria rede, que têm um preço inferior, da optimização dos planos tarifários levada a cabo pelos clientes, e também de algumas reduções tarifárias. O decréscimo do ARPU relacionado com as receitas de serviços celulares a operadores resulta das reduções nas tarifas de interligação fixo-móvel e móvel-móvel decretadas pelo regulador Anacom. Excluindo o efeito das reduções das tarifas de terminação, o ARPU celular nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002 teria sido de 28,79 euros, correspondendo a um decréscimo de 3,5% relativamente ao mesmo período do ano anterior. O tráfego na rede (minutos de entrada e de saída) conheceu um incremento de 9,0% nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, relativamente ao mesmo período no ano anterior, tendo o número de minutos celulares de voz facturados alcançado um total de 3.622 milhões. A utilização média mensal de cada cliente registado da Vodafone Telecel foi de 137 minutos celulares de voz, o que representa uma redução de 2,1% relativamente ao mesmo período do ano anterior. A utilização média mensal de cada cliente activo da Empresa foi de 154 minutos celulares de voz nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, o que representa um aumento de 0,7% relativamente a idêntico período em 2001. As receitas dos dados móveis, que compreendem SMS (Short Message Service), acesso móvel à Internet, dados e fax, ascenderam a 46,8 milhões de euros nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002, um crescimento de 29,3% face ao mesmo período de 2001, representando 6,5% das receitas de serviços celulares da Vodafone Telecel. Cerca de 40% da base total de clientes celulares da Vodafone Telecel utiliza regularmente o serviço de mensagens escritas (SMS) e esses clientes geraram uma média mensal de 66 SMS nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002. O Presidente da Direcção da Vodafone Telecel, António Carrapatoso, afirmou: “A Vodafone Telecel apresentou um forte desempenho operacional e financeiro nos nove meses findos em 31 de Dezembro de 2002. Não só conseguimos alcançar níveis recorde de receitas e EBITDA, como também melhorar a nossa margem operacional em relação ao ano anterior.