Vodafone uniformiza software

A Vodafone descobriu que o segredo do sucesso nos telemóveis está no software e vai tomar medidas que podem não agradar aos fabricantes.

A dependência dos operadores em relação aos fabricantes de terminais pode estar com os dias contados. A Vodafone prepara-se para apresentar uma proposta a diversos fabricantes de telemóveis para uniformizar um tipo de software (denominado Vodafone Live), comum a todos os aparelhos, independentemente da sua marca. Este é um passo importante para que a fidelização de clientes passe dos terminais para os operadores, o que poderá não agradar a muitos fabricantes.

No entanto, e segundo a visão de alguns analistas do sector, este cenário está mais do que inevitável. O líder de vendas no mercado europeu dos telemóveis, a finlandesa Nokia, tratou já de disponibilizar o seu  software easy-to-use (fácil de usar) a outros fabricantes (Siemens e Samsung), na iminência da Microsoft poder vir a entrar neste segmento a muito curto prazo.

A Symbian – marca de software para dispositivos portáteis e detida pela Nokia, Ericsson, Matsushita (Panasonic), Motorola, Psion e Siemens, apresenta-se no mercado como o sistema operativo do futuro, sendo partilhado por vários fabricantes, e mesmo rivais directos.

Mas a necessidade da Vodafone ultrapassa a guerra comercial das marcas. Ao abrigo da compatibilidade na sua própria rede entre os diferentes modelos de terminais, o maior operador europeus de telecomunicações móveis prepara-se para, de uma vez por todas, conquistar os clientes pelo factor realmente determinante: a facilidade de utilização de um modelo.

“Não podemos subestimar o poder de persuasão da Vodafone. Eles têm uma tremenda influência sobre os construtores de telemóveis”, comentou Ben Wood, analista em Londres da famosa empresa de pesquisa norte-americana, Gartner Inc. Para já, os responsáveis da Nokia não querem comentar as intenções da Vodafone, escudando-se no argumento que “seria de todo o interesse dos clientes que se mantivessem fiéis ao aspecto e ao sentimento da Nokia”, explicou Pekka Isosomppi, porta-voz da marca finalandesa. Mas o que é certo é que não colocam de lado a hipótese de entrar num eventual acordo com quem quer que seja.

O Vodafone Live está previsto ser lançado no final do ano, com uma enorme campanha televisiva a explicar a importância da uniformização. A Vodafone está a usar exactamente as mesmas armas que a NTT DoCoMo utilizou quando lançou o seu popular i-mode, ao uniformizar os aparelhos, fazendo os clientes fidelizarem-se no operador e não na marca do terminal.