Nokia N90

Telefone 3G contorcionista, o N90 tem nas capacidades multimédia o seu ponto forte…

Nokia N90

CARACTERÍSTICAS
Ecrãs : Interno: LCD c/resolução de 352×416 pixéis, capaz de 262.144 cores . Externo: 128 x 128 pixéis, capaz de 65.536 cores.
Dimensões : 112 x 51 x 24 mm; 126 cm³. 173 gramas.
Câmara : 2 megapixeis (resolução até 1600×1200) c/ zoom digital até 20x. Grava vídeo c/ resolução máxima CIF (352 x 288 pixéis).
Multimédia : Leitor Multimédia. Editores de vídeo e imagem. Java MIDP2 etc.
Messaging : E-mail: Instant Messaging, SMS, MMS, WAP 2.0.
Conectividade : Bluetooth, infra-vermelhos e cabo USB 2.0
Redes : GSM 900/1800/1900 e WCDMA 2100
Memória : 13 MB internos + slot para cartões RS-MMC (inclui um de 64MB).
Bateria : 760mAh BL-5B. Reclama até 12 dias em espera e 3 horas em chamada

Prós : 3G, vídeochamada, Push to Talk, software para visualização de documentos do Office, câmara.
Contras : Volumoso, concepção articulada discutível, ausência de alerta vibratório.

De entre os modelos da recente série N da Nokia contam-se até agora três na classe dos «noventas»: N90, N91 e N92. O primeiro está desde há algum tempo a ser já comercializado entre nós, o segundo encontra-se anunciado «para breve» e para o terceiro ainda não se dispõe de informação relativamente a se será e quando distribuído entre nós. Como características dominantes deste trio 3G esgrimem-se para o primeiro a capacidade fotográfica, com inclusão de uma câmara de 2 megapíxeis e lente da lendária Carl Zeiss; para o segundo o suporte Wi-Fi e a posse de um disco rígido de 4G que especialmente o talha como dispositivo leitor de mp3; e para o terceiro a capacidade de recepção de TV digital.

Nos próximos parágrafos ocupar-nos-emos do primeiro, o N90.

Desenho

A nível do desenho o N90 segue os passos do 6260, com uma concepção articulada que permite ao utilizador girar as metades, criando disposições diversas, mormente no instante fotográfico, que aproximam o modelo daquilo que estamos habituados a ver nas câmaras de vídeo, sobretudo com o ecrã disposto em aba lateral; esta filosofia é levada ao limite, sendo o próprio módulo de implantação da câmara rotativo.

O terminal é no entanto algo volumoso. Com um peso de 173 gramas para 11,2 x5,1 x 2,4 cm de espessura não foi certamente feito para quem tenha mãos pequenas e, ao fim de algum tempo de uso, não podemos deixar de nos questionar sobre se, abstraindo o fetiche de contorcer o telefone qual mantra, o conceito articulado é realmente a melhor solução, sobretudo em termos comparativos com soluções de marcas concorrentes: como por exemplo o W800i da SonyEricsson, anteriormente revisto aqui no Telemoveis.com, o qual, abstraindo não ser 3G, ostenta na forma de um monobloco compacto uma câmara com capacidades idênticas por menos 74 gramas.

Nokia N90

Disponível em tons cinzento e negro, o N90 tem um aspecto corporativo quanto baste, assemelhando-se, na versão mais clara, aos modelos da série Communicator, com a mesma qualidade de construção sólida. Um batente de borracha, estrategicamente colocado na base do telefone, permite evitar danos no ecrã ao fechar o terminal com mais energia.

Colocando a câmara perpendicularmente ao telefone o utilizador activa-a automaticamente. Neste estado, as duas teclas constantes sob o ecrã permitem controlar o acesso aos menus.

Nokia N90

Particularmente digno de nota e de louvor é a inclusão de um segundo joystick, na metade lateral do terminal junto ao botão dedicado da câmara. Este joystick facilita a operação das diversas funcionalidades, incluindo a abertura e leitura de mensagens, alternância entre perfis, controlo do volume e navegação entre os menus com as opções fotográficas.

Para além da comum informação sobre o estado do telefone e a identidade de quem chama, o ecrã exterior do N90, capaz de 65 mil cores em 128 por 128 pixéis de resolução, também serve para exibir a informação relativa à faixa a ser reproduzida pelo software RealPlayer, de leitura de áudio e vídeo.

O ecrã interno, de 2,1 polegadas e 352 por 416 pixéis, a 262 mil cores, permite exibir com apreciável definição e brilho tanto as fotos como os menus de navegação.

Os botões alfanuméricos ostentam uma forma compacta, sendo de pressão pouco ambígua mas relativamente dura.

Quanto à câmara, a sua colocação fez com que fosse impossível incluir um mecanismo de protecção. Sempre exposta, arrisca-se a sofrer o efeito seja da sujidade seja das impressões digitais seja, enfim, com alguma facilidade, da abrasão, no bolso, pelo contacto objectos metálicos como chaves que a torna permeável aos riscos.

Software & Características

De forma análoga a outro modelo 3G da Nokia, o 6680, o N90 inclui uma opção para colocação automática do ecrã em standby. Do mesmo modo, à semelhança dos PDAs tipo Pocket PC, impulsionados pelo sistema operativo Windows, o N90 – onde de resto se continua a empregar a versão 60 do sistema operativo Symbian, agora em «segunda edição» – é possível programar cinco teclas com atalhos para as aplicações favoritas, bem como ver os eventos correntes inseridos no calendário. É igualmente possível alternar entre aplicações mantendo premida a tecla de acesso ao menu.

No tocante à gestão pessoal de informação e do tempo, são fornecidas todas as opções expectáveis, tais como calendário, lista de contactos, lista de tarefas a fazer, alarme, bem como um cliente de e-mail com suporte de anexos.

Nokia N90

Especialmente de louvar, é a inclusão de software para visualizar no telefone os formatos mais comum do MS Office, designadamente documentos do Word e apresentações do PowerPoint.

De uma forma geral, o sistema operativo evidencia melhorias face às versões anteriores, de entre as quais, e desde logo, o suporte real de resoluções de ecrã superiores aos 176×208 estabelecidos como padrão no pioneiro 7650. O efeito «colateral», como podemos testemunhar, foi a incompatibilização com algum software antigo, mormente para captura de ecrã. A inovação é no entanto de louvar incondicionalmente.

Dotado, a nível das redes, de suporte 3G (WCDMA 2100) a par da tribanda GSM, o telefone é naturalmente capaz de alternar automaticamente com o modo GSM, assim a rede de terceira geração, pela deslocação do utilizador, deixe de estar disponível. A superior largura de banda, a par da elevada resolução do ecrã, tornam a experiência de navegação na Internet, no próprio telefone, bastante agradável.

Nokia N90

No que toca ao particular da versatilidade de modos em que se pode atender uma chamada de áudio (normal ou em alta-voz) ou de vídeo, apesar de tudo, o N90 tem uma das contrapartidas mais bem sucedidas do seu desenho.

As chamadas de vídeo constituem uma operação peculiar, devendo o utilizador colocar o terminal em modo «câmara». Durante a chamada, é possível girar com o dedo o módulo rotativo onde esta se encontra, exibindo assim imagens de qualquer ângulo. A luz tipo flash, inclusa junto à lente, activa-se automaticamente durante a chamada caso o ambiente seja insuficientemente iluminado.

O terminal suporta ainda a funcionalidade de partilha de vídeo, podendo o utilizador durante uma chamada, exibir um clipe pré-gravado e ou editado.

Fotografia & Video

Apesar de não ser o primeiro telefone móvel capaz de capturas de imagem na casa dos dois megapíxeis (1600 por 1200 pixéis de resolução máxima), o N90 foi anunciado com a novidade da inclusão de uma lente Carl Zeiss, marca reputada pela sua excelência óptica. A capacidade de auto-focagem é especialmente eficiente; junto com um zoom digital até 20x (porventura excessivo quando confrontados na prática com o resultado real de tal ampliação) e com um flash integrado a qualidade fotográfica do N90 é de facto uma das suas mais-valias.

As opções de ajuste fotográfico, acessíveis durante a captura de imagem mediante um especialmente prático menu, controlável tanto pelo joystick lateral como pelas teclas junto ao ecrã principal, são extremamente completas: desde o controlo da luminosidade, temporizador para auto-disparo, equilíbrio de brancos, diversos modos de cor e definições de cenário (retrato, nocturna, panorama etc.).

A gravação de vídeo em contrapartida recorre ao formato MP4, sendo especialmente boa, levando mesmo – mais do que na fotografia – alguma vantagem sob a concorrência. A resolução máxima suportada é a CIF, correspondente a 352 por 288 pixéis a 15 frames por segundo.

Com software de pós-edição fotográfica, bem como com o Movie Director, para edição vídeo, a solução oferecida é a mais completa disponível.

Nokia N90

Galeria de fotos capturadas com o Nokia N90

Clique sobre as imagens para as ver no tamanho original.
No final use o menu abaixo para passar às páginas seguintes desta crítica.

Multimédia & Conectividade

A reprodução áudio através do software RealPlayer instalado suporta diversos formatos, incluindo MP3, AAC, Real Audio (importante para quem queira tirar partido do live streaming) e WAV. Com o telefone fechado é possível controlar apenas parcialmente a forma como a música é tocada. A qualidade sonora é satisfatória, embora os baixos pudessem sair mais enriquecidos. De lamentar apenas a ausência de um sintonizador de rádio FM (opção que constará tanto no N91 como no N92).

A conectividade é um dos pontos fortes. O software Nokia XpressPrint facilita a impressão directa do telephone para uma impressora via bluetooth. Como solução com fios a porta disponível é USB 2.0 (mediante interface pop-port).

As fotos podem ser facilmente transferidas para um computador a partir do cartão de memória RS-MMC de 64 MB incluído, o qual complementa os 13MB de memória própria, interna, partilhada entre os contactos, mensagens e aplicações. De salientar o cartão de memória é do tipo voltagem dupla (3 e 1.8V).

A nível do Mobile Fun, para além da multiplicidade de jogos para a série 60 existentes, o utilizador pode instalar e correr midlets Java.

Outras funcionalidades incluem o suporte de comandos de voz, gravador de áudio, função alta-voz e a tecnologia Premir para Falar (ou Push to Talk).

Bateria & Acessórios

Para a bateria com química de iões de lítio de 760mAh BL-5B o fabricante reclama até 12 dias em espera e 3 horas em chamada. É claro que, com tanta possibilidade multimédia e de conectividade, a duração real dependerá muito do uso dado em cada caso particular. Atendendo ao volume global da máquina, seria talvez expectável a inclusão de uma bateria com maior capacidade.

No plano dos acessórios disponíveis para aquisição facultativa e separada, o N90 beneficia da gama Nokia, orçando a escolha entre os já tornados corriqueiros headsets bluetooth, um módulo GPS, altifalante externo, teclado, câmara remota e cartões de memória de maior dimensão.

Conclusão

A elevada dimensão e a relativa frugalidade da bateria são definitivamente os dois aspectos menos brilhantes do N90 e aqueles que, à partida, mais facilmente poderão afastar alguns potenciais compradores. A contrapartida é um desenho original com a inclusão de um conjunto extremamente completo de funcionalidades e capacidades multimédia. Com dois ecrãs, interno e externo, de boa qualidade, com push-to-talk mas sem rádio FM, o N90 posiciona-se dentro dos telefones capacitados para tirar partido da largura de banda das redes 3G como uma excelente opção, pese embora não se poder considerar barato.