Nome de Código: Bluetooth

Nos bastidores das telecomunicações sem fios está a desenvolver-se uma tecnologia que tornará fácil e cómodo… tudo. O nome dessa tecnologia: Bluetooth.

Um dos problemas mais aborrecidos da revolução tecnológica dos últimos anos é a duplicação de componentes. Talvez nunca tenhamos pensado muito nisto, mas a verdade é que transportamos e lidamos constantemente com vários monitores (um no telemóvel, outro no computador portátil, outro no PC, outro no Palm Pilot, etc.), e com vários altifalantes (um no telemóvel, outro no computador portátil, outro no PC, etc.),  e vários software’s que fazem o mesmo, como as agendas com os números de telefone (no telemóvel, no computador portátil, no PC, no Palm Pilot). E são precisas as soluções mais engenhosas e complicadas para fazer comunicar todos os aparelhos entre si: infravermelhos, linhas em rede, zips, disquettes, CD-ROM’s, e-mails. Que confusão!

O Bluetooth vem mudar tudo isto. Nos próximos anos, os telemóveis começarão a «falar» com os computadores e com outros aparelhos através de sinais de rádio. Uma apresentação multimédia recebida no telemóvel pode ser transferida directamente para um monitor de um PC através de sinais de rádio de curto alcance. E os números de telefone digitados no PC ou na agenda Palm Pilot podem ser usados para fazer a chamada no telemóvel com um click do mouse.

Tudo começou no início de 1998, quando algumas das mais importantes empresas do mundo dos computadores e das telecomunicações, incluindo a Intel, a IBM, a Toshiba, a Ericsson e a Nokia, se juntaram para desenvolver a tecnologia com o nome de código «Bluetooth»(dente azul). Revelado ao mundo em Maio de 98, este grupo, o SIG, rapidamente aumentou de volume à medida que se lhes foi juntando a 3COM/Palm, a Compaq, a Dell, a Motorola, a Xircom e muitas outras empresas de grande peso.

Em termos de tecnologia, o Bluetooth funciona à base de minúsculos e baratos transmissores/receptores de rádio de curto alcance que são embutidos nos telemóveis, PC’s e todos os possíveis aparelhos de comunicação móvel que conhecemos hoje (e talvez alguns que ainda não conhecemos), directamente ou através de adaptadores como os PC Cards. O rádio opera numa banda disponível em todo o globo sem necessidade de licença (2.45GHz), e comporta velocidades de transferência da ordem dos 721Kbps, bem como três canais de voz. Tudo isto já para o ano 2000!

Existem ainda alguns problemas a resolver, como o preço da tecnologia e a possibilidade de controlar todas as funções apenas num chip, porém, com as empresas envolvidas no projecto, quem poderá duvidar do sucesso? Eu não, com certeza.

Bruno Martins Soares